Prêmio Wilson dos Santos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

No último sábado dia 11 de dezembro o Grupo Instrumental Bico Atrevido e a Orquestra Philarmonia Brusque realizaram seus eventos de abertura relacionados aos projetos aprovados pelo Prêmio Wilson Santos – Fundo Municipal de Apoio à Cultura – promovido pela Fundação Cultural de Brusque e Prefeitura Municipal de Brusque:Circuito musical do Bico Atrevido: proponente Sérgio Luiz Westrupp da Europa ao Brasil – breve história da música de Concerto: proponente EsquinaBrasilis Escola de Artes.Uma apreciação bem apurada dos dois projetos permitirá que a percepção de que há um diálogo entre eles e certa complementaridade. O cenário da música de concerto não exclui a música popular. Ambos dialogam e interagem de forma intensa e criativa.Circuito musical do Bico Atrevido durante o ano de 2020 o Grupo Instrumental Bico Atrevido retornou à atividade com uma nova formação: sopros, cordas e piano. Seu objetivo principal é a divulgação da música instrumental brasileira de referência que é o Choro. Nesta linha de pesquisa o diretor musical – Sérgio Luiz Westrupp – tem desenvolvido a elaboração de umrepertório com base na produção musical do início do século XX: berço do Choro e do Samba.Como o projeto está destinado a um público específico = alunos do ensino médio noturno de quatro escolas estaduais do município de Brusque, este projeto contará com a participação da cantora Tatiane Krüger Niebuhr.

O objetivo é dar um destaqueàs letras das canções escolhidas que apresentam uma crônica de um Brasil que se constituía como nação republicana.O repertório envolve sambas de Noel Rosa, maxixes de Chiquinha Gonzaga, Tangos brasileiros de Ernesto Nazareth e Valsa e Choro de Zequinha de Abreu. O universo musical do início do século XX será apresentado em músicas instrumentais e com a presença vocal que representam de forma significativa este período musical.As sonoridades das músicas escolhidas apresentam uma paisagem sonora de um Brasil que ainda pode ser encontrado nos dias atuais. Muito mais do que a simples reprodução de um repertório de música brasileira mais antiga, este circuito musicalbusca a ressignificação das músicas apresentadas para o público de hoje: uma apreciação atemporal do repertório. Por isto que o público jovem foi escolhido como alvo principal da ação cultural: promover uma apreciação musical com o apoio de informação crítica.Cada escola receberá uma palestra do diretor musical do grupo – Sérgio Luiz Westrupp – para que seja promovida uma reflexão crítica sobre o contexto histórico social do Brasil que foi cenário para a composição destas músicas escolhidas. As palestras acontecerão um dia antes das apresentações nas E.E.B Santa Teresinha, Feliciano Pires, Governador Ivo Silveira e Monsenhor Gregório Locks nos meses de fevereiro e março de 2022.Apesar do projeto ser destinado ao público estudantil de escolas públicas, todos os shows itinerantes serão gravados e disponibilizados no canal do You tube do proponente e diretor musical do grupo: pianista Sérgio Luiz Westrupp, para que toda apopulação tenha acesso a esta produção artística inédita em Brusque .

Da Europa ao Brasil – breve história da música de ConcertoA Orquestra Philarmonia Brusque se estruturou a partir de agosto de 2020 e vem participando de vários projetos municipais e estaduais deste a sua formação. Apesar de pouco tempo de existência formal, o grupo na verdade já atuava coletivamente pormais de dez anos sob a tutela de uma instituição privada de Brusque.A formação atual que já conta com um ano e meio de existência tem ensaiado de forma contínua graças ao apoio da Esquina Brasilis Escola de Artes que tem assegurado as condições mínimas para os encontros semanais. E é com base nestaregularidade que o grupo resolveu assumir um projeto audacioso: apresentar um repertório com músicas características de diversos países e períodos históricos.

O repertório envolve músicas da renascença, passa pelo barroco, classicismo, romantismo e chega ao nacionalismo brasileiro do final do século XIX e início do século XX. Uma jornada histórica e sonora que contará com a participação da cantora Tatiane Krüger Niebuhr que dará destaque à sonoridade das palavras e das várias línguas europeias e da língua brasileira.A proposta central é que o público tenha acesso às diferentes expressões musicais apresentadas em cada período de nossa história. Que haja um confronto entre o que a Europa constituiu como linguagem própria e como o Brasil conseguiu criar a suamúsica com características nacionalistas dentro do universo da música de concerto.A complexidade do projeto exigiu um formato muito específico: o repertório será apresentado em três concertos distintos e com base em uma linearidade histórica que se iniciará na renascença europeia e terminará no nacionalismo brasileiro – umperíodo de 500 anos de música: 1450 a 1950 aproximadamente.

Este repertório também explicita a contribuição artística dos seus compositores como Johann Sebastian Bach, Mozart, Beethoven, Chopin, Carlos Gomes e Lorenzo Fernandez.O projeto será complementado por uma web série de três episódios produzida pela Esquina Brasilis e apresentada pelo Diretor Musical da Orquestra Philarmonia Brusque o regente e pianista Sérgio Luiz Westrupp. Nesta web série o diretor musical irá apresentar e detalhar as principais características musicais e sociais que envolvem oprocesso de composição de todas as músicas apresentadas nos três concertos. Os exemplos musicais serão ilustrados pela própria Orquestra Philarmonia Brusque.

O período de realização dos concertos será durante os meses de março e abril de 2020 com entrada gratuita e com a divulgação dos episódios na semana anterior aos concertos. Todas as informações serão realizadas na mídia em geral e nas redes sociais da Esquina Brasilis Escola de Artes.

𝗣𝗿𝗼𝗷𝗲𝘁𝗼 𝘃𝗶𝗮𝗯𝗶𝗹𝗶𝘇𝗮𝗱𝗼 𝗮𝘁𝗿𝗮𝘃é𝘀 𝗱𝗼 𝗙𝘂𝗻𝗱𝗼 𝗠𝘂𝗻𝗶𝗰𝗶𝗽𝗮𝗹 𝗱𝗲 𝗮𝗽𝗼𝗶𝗼 𝗮 𝗖𝘂𝗹𝘁𝘂𝗿𝗮 𝗱𝗲 𝗕𝗿𝘂𝘀𝗾𝘂𝗲 𝗮𝘁𝗿𝗮𝘃é𝘀 𝗱𝗼 𝗣𝗿ê𝗺𝗶𝗼 𝗪𝗶𝗹𝘀𝗼𝗻 𝗱𝗼𝘀 𝗦𝗮𝗻𝘁𝗼𝘀.